Todo mundo personalizando tag de mala!

Bom, vocês sabem que a gente tem uma linha própria de tag de mala né? Não sabe? Então tá por fora! (clica aqui pra ver toda a linha)

Aí no balançar da carroça um montão de gente pediu pra personalizar as tags, e como aqui com a gente tudo é possível, a gente foi lá e fez do jeitinho que cada cliente pediu. Além da nossa linha, fizemos diversas tags diferentes, olha só:

Rodei

O Thiago fez 3 modelos diferentes e um deles com 3 opções de cores:

tags de mala

Viagem e Viagens

A Clarissa fez 4 modelos diferentes, um de cada cidade bacana:

tags de mala

Cariocando por Aí

tags de mala

Dois a Bordo

tags de mala

Viagens Incríveis

tags de mala

Loucos Por Viagem

A Fabi também fez 2 modelos diferentes (não sei se vai dar pra ver bem na 2ª foto):

tags de mala

ItaliaAna

tags de mala

Vamos Viajar

tags de mala

Compre Malas

Fizemos também para uma loja que venda malas aqui de Curitiba. Foi brinde de final de ano para os clientes.

tags de mala

Retrip

tags de mala

Vivi em UK

A Vivi foi uma das primeiras, e como ela mora lá no Reino Unido, sempre temos que dar um jeitinho pra mandar tags pra lá. O bom é que sempre tem alguém da família ou amigo indo, hehe.

tags de mala

Milão nas Mãos

tags de mala

Eu vou de Mochila

tags de mala

Viajando com Sy

tags de mala

Badu Design

Também fizemos uns modelos especiais para a Badu Design. São tags infantis e atrás eles são um pouco diferentes. Ficaram uma fofura também.

tags de mala

A gente também já entregou vários pedidos para casamentos e despedida de solteira fora do país. Coisa fina mesmo! Olha essas:

tags de mala

Tô falando que aqui pode tudo! Recentemente mandamos um carregamento de tags pra um casamento lá na Itália, estou mega ansiosa pelas fotos delas lá no velho continente.

E aí, quer personalizar a sua? Pode ser pessoal, pode ser pro seu blog, casamento, festa, viagem em amigos/família ou empresa. Manda e-mail pra gente: contato@finestrino.com.br.

Onde ficar em São Luís: Holiday Inn

Comecei a falar da viagem ao Maranhão e depois de contar um pouco de São Luís, falo de onde ficamos, o Holiday Inn na região de São Francisco.

holiday inn

A região é bem tranquila e é fácil chegar até o hotel. Não é muito perto do aeroporto, e pra chegar lá você pode pegar um táxi (cerca de R$ 35/R$50 dependendo da bandeira) ou pode pegar o ônibus de linha que te leva até o centro e então pegar um o táxi (R$ 1,90 + R$ 13).

O atendimento foi ótimo, todos os funcionários foram muito cordiais, responderam dúvidas, falaram do wifi e etc. O check in foi bem rápido, e isso foi essencial pra mim, pois cheguei lá 3h30 da manhã morrendo de sono e só queria uma cama fofinha.

holiday inn

O quarto é suficientemente grande, tem espaço para as malas, a cama é uma delícia e adorei o detalhe do travesseiro, facilitando a escolha:

holiday inn

O banheiro é bem espaçoso também, porém acho que o chuveiro estava entupido/sujo porque era filete de água pra tudo que é lado. Tem kit de sabonete + shampoo + condicionador caso tenha esquecido algo.

holiday inn

O quarto tem tv a cabo, ar condicionado (bem necessário), wifi e adorei que tem uma tábua de passar roupa e ferro. Apenas sensacional porque convenhamos, as roupas sempre chegam amassadas e achei esse um bom detalhe. Também tem frigobar, mas só com água, que, outro detalhe, são de cortesia. Bacana né?

O café da manhã está incluso na diária e é básico. Tem alguns pães, ovo, frutas, suco, café e chá. É suficiente.

Para completar eles também tem uma piscina, pena que não deu pra aproveitar. Quando sobrou um tempo pra isso estava um ventinho meio desagradável e gelado pra isso. Pena.

holiday inn

De forma geral, gostei bastante do hotel. Localização boa, atendimento rápido, quarto legal e a cama muito boa.

Apenas um “obs” final aqui, no último dia da viagem, passamos a noite em São Luís antes de pegar o voo que era as 5h da manhã. Como era muito cedo e 1.queríamos dormir e 2.gastar menos táxi pro aeroporto, fomos para um hotel próximo. Maior erro da vida! Por ali só tinha coisa furreba e ficamos em um hotel muito sujinho, pequeno, mal cuidado e cama horrenda! Nem deu pra dormir muito mais, pois estava me defendendo das pulgas me comendo inteira!! Então aceite essa dica e não-fique-próximo-do-aeroporto. #ficadica

 Outros posts sobre Maranhão:

- Um pouco sobre São Luís e o que fazer por lá

Vídeo de sábado: Curitiblogando

Faz um tempão que não postamos nenhum vídeo de sábado por aqui, então resolvi reativar a tag com um vídeo muito legal do nosso amigo Rafael, do blog The Way Travel sobre o III Curitiblogando, que reuniu 18 blogs na nossa linda cidade, com o objetivo de divulgar tudo o que tem de melhor para fazer em Curitiba.

Quem quiser saber mais sobre o Curitiblogando, basta acompanhar as novidades do projeto pela página no facebook.

curitiblogando

Blogueiros da Rede Curitiba: Anna Martinelli e Mariana Fachin (Finestrino), Beta Rodrigues e Dea Sales (Férias de Mochila), Robson Franzói (Um Viajante), Natasha Schiebel e João Guilherme Brotto (Pra Ver em Londres), Leidinara Batista (Férias Now), Jr Caimi (Tip Trip Viagens), Maria Thereza (Travel Monster) e Cristiane Tomasi (Carpe Diem).

Blogueiros convidados: Diana Schrock (Histórias da Di), Fábio Lima (Intrip), Rafael Leick (The Way Travel), Carol May (Dicas Roteiros Viagem), Erick Stengrat (My Destination Anywhere), Claudia Saleh (Aprendiz de Viajante), Thaís Towersy (Guia Mundo Afora), Guilherme Tetamanti (Viajando com eles), Lucas e Natalia (Queimando Asfalto) e Marina Fabri (Coisas de Diva).

Um pouco sobre São Luís e o que fazer por lá

Como todo bom viajante, antes de cair na estrada eu busco informações sobre os lugares que pretendo visitar. Com São Luís não foi diferente e tudo que li e tudo que me disseram era que a cidade era muito feia, suja e perigosa.

Depois de viajar um pouco por aí, eu sempre fico com receio de comentários como “a mais linda” ou “a mais feia” ou coisas do tipo que sejam bem enfáticas, afinal, gosto é gosto. Sempre procuro visitar o melhor da cidade e conhecer sem ir pensando tanto no que falaram.

Porém, contudo, todavia, depois de visitar São Luís, eu preciso concordar com o que me falaram sim. Na realidade a cidade tem um potencial turístico incrível na parte histórica, tem coisas muito interessantes para serem vistas e visitadas, mas é tudo muito largado, desleixado e mal cuidado.

O centro histórico é tão bonito, mas a maioria dos casarões antigos (a cidade já tem mais de 400 anos) estão abandonados e as coisas não são muito preservadas e bem aproveitadas. Caminhei por lá imaginando como seria perfeito uma sorveteria bacana ali, um café lá e lojinhas típicas por todo canto, coloridas uma do lado da outra. Infelizmente não tem nada disso.

As casas em sua maioria tem acabamento em azulejos europeus pintados a mão da época da colonização. São tão lindos, únicos, felizes… mas agora estão a Deus dará.

são luis o que fazer

Enfim, busquei algumas informações e aproveitei ótimas dicas de uma leitora (alô Tati!) para conhecer o que tinha de cultura por lá. Tem coisa legal para aprender com a cidade. Vou colocar na ordem que fizemos e que provavelmente será o mais fácil pra você também. Mas pode mudar se quiser tá? Eu deixo.

Convento das Missões

Começamos por ele porque era o mais afastado de onde estávamos hospedados. Pegamos um táxi até lá – que aliás, é barato – e sem saber muito o que esperar, começamos o passeio.

O Convento tem entrada gratuita e você pode fazer a visita guiada ou não. É tudo gratuito, então é interessante pegar o guia pra entender melhor do local. Ele começou a ser construído em 1654 e era muito mais simples do que é hoje. Apenas em meados do século 19 começou a tomar a forma. Passou como Seminário Menor e até 1980 abrigou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Foi reformando bastante desde então.

Embaixo tem o pátio com o poço original da época e que ainda funciona, dois carros da família Sarney em exposição e um jardim muito bonito mais para a lateral. Dali dá pra ter uma vista legal da cidade.

são luis o que fazerNeste jardim tem árvores de Pau Brasil

Na parte de cima tem um museu com vários itens da história brasileira. Alguns são originais, outros apenas réplicas ilustrativas. Achei interessante que tem a 1ª Constituição do país e essa parede com foto de todos os nossos Presidentes:

o que visitar em são luís do maranhão

Na sequência tem uma parte inteira dedicada ao Sarney. Ok, não precisamos gostar dele, mas é bem interessante. São peças originais de vários momentos chave do Brasil dessa época. Itens pessoais muito pomposos e cheios de luxo.

Depois há ainda uma sala com muitos presentes que foram dados ao Sarney na época da Presidência. Presentes do mundo todo, de artistas, políticos, atletas. Tem espadas samurai, itens de A.C., quadros, esculturas… Imagina ter tudo isso em casa!

são luis museu

Centro Histórico

De lá fomos caminhando pelo centro histórico. Como falei acima, por ali é tudo largado e tem pouco movimento. Confesso que dá um medinho caminhar por ali. Como estava vazio, foi bom de fotografar as casas antigas.

são Luis maranhão centro histórico

Aliás, São Luís é Patrimônio da Humanidade com toda sua história. É, precisava de mais conservação, né? São no total 3500 casa que compõe o centro histórico

Essa foi um dos 2 prédios mais conservados e bonitos que vimos por lá. Ela foi construída pelos jesuítas em 1699 e claro que já foi muito reformada. Em 1922 foram adicionados detalhes neoclássicos e nos anos 50 o teto da igreja é que foi remodelado. O altar ainda possui peças barrocas do século 19. Como não estávamos com muita sorte nesse dia, não pude visitar o interior da igreja porque estava passando por reformas para abrir no dia seguinte! Que timing né?

são luis maranhão

Palácio dos Leões

Um pouco mais pra frente da Sé está o Palácio dos Leões, o outro prédio conservado que vimos. Ele foi erguido em 1612 pelos franceses e era conhecida como Fortaleza de São Luis (realmente é muito muito grande e em posição estratégica com vista pro mar).

Depois de um tempo foi tomada e remodelada pelos portugueses e hoje abriga o Governo da cidade e é possível fazer visita guiada lá dentro para conhecer os belos salões e obras de arte.

são luis palácio dos leões

É claro que ele estava fechado quando fomos devido a algumas greves recentes. Murphy sempre junto. Não deu pra ver o interior da Catedral e nem do Palácio!!

Teatro Arthur Azevedo

O Teatro fica um pouco mais retirado pra dentro do centro e dá pra ir a pé pra lá também. Nesse só passamos na frente pois estava fechado. (novidade da viagem, hehe).

Ele é o 2o mais antigo do Brasil, com inauguração em 1817. Ficou abandonado por 30 anos (até 1991), até ser reformado em 2005. Também é possível visitar o interior do teatro com guia.

são luis

Museu Histórico e Artístico

Esse foi meu preferido de São Luís. Minha ideia nem era ficar entrando em museu e mais museu, mas estávamos ali, o museu estava aberto (até que enfim alguma coisa) e entramos.

Custa R$ 2,50 com visita guiada. A maravilha foi que estava vazio, então deu pra ver tudo muito bem. Não é possível tirar fotos lá dentro, por isso não vou ilustrar tudo que vimos. Basicamente este museu é uma casa antiga típica Maranhense.

são luis

É lindo demais, tudo muito organizado, limpo, com peças originais incríveis e carregadas de história local. Vale demais a pena visitar, e o guia que nos atendeu era ótimo e explicou tudo super bem. Adorei a visita.

Fonte do Ribeirão

Essa é apenas uma fonte, mas ela é de 1716 e é a mais bem conservada da cidade. A água que passa ali não é potável, mas o pessoal usa para limpar calçadas e afins.

são luis

É claro que tem mais coisas pra ver na cidade, tem outros museus e igrejas, mas não conseguimos fazer tudo em um dia. O que eu mais gostei foi de ver os azulejos coloridinhos, gostei muito disso e queria vê-los preservados, limpos e bonitinhos em cada casa. Quem sabe em breve o Governo dê uma olhada melhor pro turismo e pra conservação da cidade, né? Acho que com toda sua história, ela merece.

*Todas as fotos desse post foram de uma câmera GoPro. Confesso que fiquei com um pouco de receio de sair com a câmera grande e dar bandeira de turistão (não que eu não seja facilmente vista como turista por causa desta minha cor transparente, mas né).

O que te move?

Lembro como se fosse hoje. Entre 9h e 9h30 os bichinhos virtuais começavam a acordar. Se hoje o pesadelo dos professores são os smartphones; na minha época, sem dúvida, eram os bichinhos virtuais.

Naquele dia não dei muita atenção ao meu. Eu estava mais interessada em saber onde ficavam as peças originais das que estávamos vendo no museu. “Isso é uma réplica. O original está no Museu do Cairo, no Egito”, respondia o guia, entre os apitos de uns e outros bichinhos virtuais que ainda estavam acordando.

De original naquele museu, só a Tothmea, a primeira e (acho) única múmia autêntica vinda do Egito para o sul do Brasil. “Preciso conhecer esse tal de Egito”, pensei. E foi ali, no Museu Egípcio de Curitiba que nasceu a minha vontade de viajar.

múmia Tothmea Museu Egípcio Curitiba(Múmia Tothmea no Museu Egípcio de Curitiba)

Na mesma época, passava o Show do Milhão da TV. Fiz os cálculos e concluí que eu não precisava nem ganhar 1 milhão para conhecer o Egito, já que R$30mil seriam suficientes para cobrir os gastos de uma viagem para mim e para o meu amigo. Eu não sabia que crianças não podiam viajar desacompanhadas. Um vizinho me emprestou um CD e eu instalei o jogo do Show do Milhão no meu computador e jogava com bastante frequência para treinar, assim eu estaria bem preparada para o dia que fosse participar do programa. Lembro até de ter mandado uma sugestão de pergunta: “Qual é o menor país do mundo? Vaticano”. A pergunta selecionada ganhava uma quantia em dinheiro. Um dia vi essa pergunta no programa e tinha certeza que só tinham escolhido porque eu mandei. Fiquei chateada porque não me pagaram o cachê e desisti de realizar o meu sonho de conhecer o Egito com a ajuda do Sílvio Santos.

Os anos foram passando e o sonho de conhecer o Egito foi dando espaço a outras motivações para viajar. Um simples final de semana na praia, uma visita aos parentes no interior, a primeira viagem sozinha na formatura da oitava série e aquela sensação boa que qualquer viagem é capaz de proporcionar.

Viajar de avião seria o próximo passo. O destino não importava, só queria saber como seria voar. E fui parar em Vitória, no Espírito Santo, lugar que eu jamais imaginava que um dia iria conhecer e que gostaria tanto.

(Meu primeiro finestrino num avião)

Final de semana na praia: check
Visitar parentes: check
Viajar sozinha: check
Viajar de avião: check

Hora de ousar um pouco mais. Hora de viajar internacional. Hora de realizar o sonho de infância de conhecer o Egito, mas fui parar em… Londres!

Viagem internacional: check

As “desculpas” para continuar viajando sempre se reinventam. Viajar internacional não era suficiente. Era preciso fazer também um intercâmbio e estudar ou trabalhar fora: check

Conhecer o maior número de países possível em dois meses: check

Perceber que passar mais tempo em um lugar pode ser melhor do que conhecer vários: check

Repetir uma cidade porque ela pode estar diferente desde a primeira vez que você a viu: check


Visitar amigos: check
Conhecer novas culturas: check
Passagem em promoção que te faz morrer de vontade de conhecer aquele destino que nunca havia despertado o seu interesse antes: check

A verdade é que quando a gente começa a viajar, não quer mais parar. E o mais interessante é perceber que as motivações e os conceitos de uma viagem mudam ao longo do tempo. Mudam conforme nós mudamos. E eu acho que essa é a grande graça da brincadeira. Cada viagem tem um significado que vai muito além do destino visitado. Cada viagem diz muito sobre você e sobre o momento que você está vivendo.

Não tenho nenhuma viagem planejada no momento, mas busco por mais contato com a natureza, tranquilidade e paz. Eu diria que qualquer vilarejo nas montanhas seria o melhor destino agora. E você? O que te move?

1 2 3 263